CURIOSIDADES

PRÊMIO EMMY AWARDS INTERNACIONAL 2023

A Ponte – The Bridge Brasil” foi a única produção brasileira a ser premiada no Emmy Internacional Awards 2023. Ela venceu a categoria de melhor programa de entretenimento sem roteiro.

“A Ponte, The Bridge Brasil, não é um programa que fala sobre competição, fala sobre união. 
Sempre falamos que esse era um projeto de como construir e atravessar uma ponte se unindo a pessoas tão diversas. Descobrir a diferença e se unir, pode ser algo mágico. Na verdade, a ponte é uma grande metáfora. Qual a ponte você quer construir pra sua vida? Atravessa-la talvez seja uma grande utopia, mas é um sonho de todos nós. O mundo precisa se unir urgentemente e atravessar essa ponte juntos. 
A união e o comprometimento desta equipe, nos deu também a oportunidade de estarmos juntos a uma natureza deslumbrante, vivenciando algo tão belo e com uma vontade louca de estarmos ali nos conectando um com o outro. Conseguimos construir algo forte e sólido, foi lindo!”




Prêmios e indicações de Murilo Rosa

 

PRÊMIO EMMY AWARDS 2023
O seriado “A Ponte – The Bridge Brasil” com Murilo Rosa foi a única produção brasileira a ser premiada no Emmy Internacional Awards 2023, na noite desta segunda-feira (20) incluindo novelas. Ela venceu a categoria de melhor programa de entretenimento sem roteiro.

PRÊMIO LUSOFONIA 2022 – PRÊMIO CARREIRA
Murilo Rosa vai a Lisboa receber seu prêmio na VI Edição da GALA  PRÉMIOS DA LUSOFONIA no cassino de estoril.

"Em Portugal é um dos atores brasileiros mais acarinhados e os personagens que representou ficaram no coração de quem viu, amou e guardou em boa e feliz memória.
MURILO ROSA representa o que de melhor tem o Brasil ao nível das artes cénicas. O mesmo é dizer: representa o que de melhor têm as artes cénicas da Lusofonia.
Não podia, por isso, ficar em melhores mãos o PRÉMIO LUSOFONIA 2022 – PRÉMIO CARREIRA, atribuído ao Ator MURILO ROSA!"

 


LINHA DO TEMPO

1993 - vendecoro do Prêmio Cantão de Teatro - Melhor Ator    em Porcos com Asas
1993 - Festival Carioca de Novos Talentos - Melhor Ator
1997 - Troféu Oscar Santos - Melhor Ator
2002 - Festival de Cinema de Varginha - Melhor Ator em Curta-metragem Ismael e Adalgisa
2022 - Troféu Top of Business
2005 - Festival de Cinema de Varginha - Melhor Ator em Curta-metragem O Segredo
2005 - Festival de Cinema de Maringá    Melhor Ator em Curta-metragem O Segredo
2005 - Prêmio Extra de Televisão    Melhor Ator em América
2005 - Prêmio Revista Minha Novela - Casal do Ano (com Eliane Giardini)
2006 - Prêmio Contigo! de TV - Melhor Par Romântico (com Eliane Giardini)
2006 - Prêmio Staff de Ouro - Prêmio de Honra
2006 - Santa Maria Vídeo e Cinema - Melhor Ator em O Segredo
2007 - Festival Cinema de Três Rios    Melhor Ator O Segredo
2009 - Los Angeles Brazilian Film Festival - Melhor Ator em Orquestra dos Meninos
2011 - Anápolis Festival de Cinema - Melhor Ator em Orquestra dos Meninos
2011 - Prêmio Arte Qualidade Brasil - Indicado como Melhor Ator de Televisão em Araguaia
2011 - Los Angeles Brazilian Film Festival - Melhor Ator Coadjuvante em Como Esquecer
2011 - Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro - Indicado como Melhor Ator Coadjuvante em Como Esquecer    
2013 - Festival de Cinema de Natal - Melhor Ator em Vazio Coração
2017 - Festival de Cinema da Lapa - Melhor Ator em A Menina Índigo
2018 - Troféu Nelson Rodrigues - Conjunto da Obra em  Carreira
2021 - Melhores do Ano - Indicado como Melhor Ator Coadjuvante em Salve-se Quem Puder
2022 - Prêmio Destaque Imprensa Digital -  Indicado como Melhor Ator
2022 - Prêmio É Sobre Musicais - Como Melhor Ator
2022 - Prêmio Lusofonia 2022 – Prêmio Carreira
2023 - The Bridge Brasil no HBO ( A Ponte) -  Vencedor do prêmio Emmy Awards Internacional 2023




"Barnum" picadeiro pro talento de Murilo rosa - Matéria no Estadão

Por Rodrogo Fonseca

Desde a sua participação cativante em " Ismael e Adagilsa" (2001), Murilo Rosa já deu ao cinema Brasileiro Momentos vívidos de empenho e carisma, a se destacar " A cabeça de Gumercindo Saraiva" (2018), um western gauchesco, à lá Anthony Mann, que pode ser visto, num clique, na Amzon Prime. Dez anos antes desse  bangue-bangue, ele encantou as platéias com Orquestra dos Meninos" (2008), sua mais delicada interpretação, no pael de uma maestro às voltas com a intolerância contra a criação estética. Ele agora incendia a cena teatral carioca à frente da versão brasileira de "Barnum", musical de Cy Coleman (melodia) Michael Stewart ( letra) e Mark Bramble ( libreto). Musical esse pela primeira vez encenado no palco do St. James Theatre, na Broadway, em 30 de Abril de 1980...




Arquivo Confidencial no Faustão

Murilo Rosa é homenageado no Programa do Faustão no quadro Arquivo Confidencial.

Fausto fala dos sucessos de Murilo Rosa, apresenta suas participações em algumas novelas, seriados e filmes como: A Casa das 7 Mulheres, Amérika, Desejo proibido... mostra também o trailer do filme rquestra dos Meninos.
Depoimentos emocionantes de amigos e família levam Murilo as lágimas como também algumas pessoas da platéia.




Me aventurando na música...

Cantar sempre foi uma vontade dentro dessas possibilidades e habilidades que minha profissão necessita. Aliás, ter habilidades é fundamental para um ator! Minha primeira peça profissional em 1993 se chamava  "A gente não tem cara de Babaca" baseada na poesia e obra de Gonzaguinha. Nessa peça eu atuava, cantava e fui assistente de direção. Foi uma experiência marcante e linda na minha iniciação no teatro profissional.


Logo na minha primeira novela, "74.5 uma onda no ar", meu personagem se chamava Caio Daniel ( CD ),  era um cantor de uma banda de rock. Na novela gravei a música "Agora só falta você" de Rita Lee, que foi uma experiência muito gratificante.

Nas peças "Se correr o bicho pega se ficar o bicho come" e "Blue Room" eu também tive a deliciosa experiência de cantar ao vivo no palco. 

Com toda essa bagagem enfim, no filme "Vazio Coração" eu fui chamado para fazer um cantor e neste filme mergulhamos pra valer neste universo. Cantei no filme nove  músicas, algumas ao vivo e outras em estúdio. Posso afirmar que foi muito prazeroso. “rs”  A Som Livre lançou todas elas!

E agora montando o espetáculo Entusiasmo, uma comemoração dos meus 25 anos de carreira em que faço uma homenagem a esses personagens cantando algumas de suas trilhas sonoras.

No final da pandemia, Murilo Rosa e o melhor time do Teatro musical Brasileiro comandado por Gustavo Bachilon, entram em cartaz com “Barnum, o Rei do Show”, comemorando seus quase 30 anos de carreira, o musical se torna um sucesso de crítica e de público, cumprindo temporada no Rio e em São Paulo.




Xica da Silva foi a primeira novela protagonizada por uma negra

Xica da Silva
Recordamos nesse post um dos maiores sucessos da TV Brasileira e o último grande sucesso entre as telenovelas da Rede Manchete, a sublime e desavergonhada produção chamada Xica da Silva. A história se utilizou muito da sátira em seus personagens, que respeitou o período histórico a qual retratava, respeitou a história real existente por trás da ficção e foi uma das principais obras já feita no país e foi outra rara produção que “incomodou” o domínio da Rede Globo. Xica da Silva foi a primeira novela protagonizada por uma negra no país, exatamente a sempre competente, talentosa e linda, Taís Araújo.

A novela possuía um linguajar único, a época. Não existia dosagem, seja no sarcasmo, utilizado em várias vezes ao lidar com a hipocrisia da classe dominante, ou no uso do erotismo, quase sempre utilizando-se da sensualidade natural das belas mulheres que faziam parte da novela, um recurso vital para o sucesso da novela, já que foi utilizado na medida certa, nas cenas certas, a ponto de tornar a história coesa e coerente diante ao que pretendia. Além disso, a novela não poupou do uso do realismo em suas cenas, com o uso da violência e tortura nestas, a fim de mostrar o tamanho da perversidade dos brancos diante os negros escravizados no Brasil-Colônia. Uma obra-prima.

Taís Araújo e Drica Moraes não decepcionaram, protagonizando mocinha e vilã, foram os destaques da novela. Além disso, fica o destaque a Xica da Silva, primeiro por ser uma mulher como protagonista da novela, o que era raro, apesar da mesma Manchete ter lançado Juma em O Pantanal em 1990 (Xica da Silva é 1996-1997), até os dias de hoje é difícil achar uma novela com o protagonismo voltado a um personagem feminino. Além disso, foi a primeira protagonista negra na TV Brasileira (repetindo para se jamais esquecer da ousadia da Manchete, principalmente, em um país racista como o nosso).

A vilã de Drica foi marcado pela “secura” da personagem, que no popular, “chegava a dar nojo”, devido a falta de sentimento existente na personagem, o “diabo” parecia não ter coração, mas uma rocha dura em seu lugar. O fim de Violante, em um castelo sozinha e longe daquele que seria seu único amor, foi aprovado e aplaudido pelo público. Um dos grandes personagens feito por Drica na TV.

Algumas curiosidades circundam a novela. Entre elas, a questão do Nu, somente Taís Araújo pediu uma dublê de corpo para suas cenas. Inicialmente, isso foi necessário por Taís ser menor de idade, porém após o capítulo 50, quando atingiu a maioridade, ela se utilizou desse recurso, por não se sentir a vontade para realizar tais cenas.


Apesar da crise financeira que atingia a emissora carioca, a Manchete desembolsou mais de 60 milhões de dólares para executar a produção da Novela, que ocorreu em longos 237 capítulos. Esse dinheiro foi utilizado na confecção dos figurinos e dos cenários, além da construção da própria cidade cinematográfica.

A novela contou com bons nomes da teledramaturgia brasileira, além de Taís e Drica, Murilo Rosa protagonizou Martim Caldeira Brant, a novela contou também com Giovannaa Antonelli, Carla Regina, Zezé Motta, Guilherme Piva, Paulo Cesar Grande, Dalton Vigh, Joana Limaverde e tantos outros nomes. Além disso, contou com a participação especial, de grandes artistas negros, como Dona Zica da Mangueira e Leci Brandão.

Xica da Silva atingiu a média de 18 pontos da audiência e pico de 22, colocando a Manchete em terceiro lugar, atrás somente de Globo e SBT.

Xica da Silva foi transmitida originalmente entre Setembro de 1996 e Agosto de 1997, e retransmitido pelo SBT no ano de 2005.

Saiba mais clicando nos ícones a abaixo




Me aventurando nos negócios...

Filho de comerciante não podia dar outra coisa, rs. Meu pai teve durante muitos anos uma loja de tecidos que se chamava Kenya Tecidos em Brasília onde morávamos, cujo o nome era homenagem a minha irmã. Meu primeiro emprego foi de empacotador em uma de suas seis lojas! Tenho lindas lembranças desta fase e uma admiração e respeito pelos meus pais por tudo que fizeram.

Em 2005 quando eu já morava no Rio há 12 anos, já com uma carreira ascendente e no auge do sucesso na novela América, resolvemos eu e meu pai trabalharmos juntos. Na verdade, isso era apenas um pretexto para estarmos perto um do outro! Montamos então nosso escritório a MAR Produções Artísticas, e então passamos a cuidar do nosso próprio negócio com nosso jeito. Deu certo a parceria! Mas o melhor mesmo é ter meu pai sempre por perto e também ter minha mãe que estava ali, sempre presente organizando tudo. Sem ela também nada disso teria sentido!

Voltando aos dias de hoje comecei a me evolver em vários negócios e tomar gosto por isso, acho que está no sangue! Me tornei sócio de algumas empresas como:

- PARIS 6 - O restaurante que é um sucesso;
http://www.paris6bistro.com/home

- INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS
Murilo Rosa ao longo de sua carreira, influenciado diretamente por seus pais, possui um importante e diversificado patrimônio em imóveis

 

MATÉRIA SOBRE O MURILO ROSA NA REVISTA GRANDES EMPRESAS & PEQUENOS NEGÓCIOS

"Sabe o ator Murilo Rosa? Ele é um empresário de sucesso
Sócio do badalado Paris 6 e de uma academia, o ator brasiliense vê no empreendedorismo uma oportunidade de diversificar seus investimentos"

"O empreendedorismo corre nos sangue de Murilo Rosa, ator que acaba de completar 25 anos de carreira no teatro, na televisão e no cinema brasileiro. Filho de Odair Rosa, fundador de uma empresa de tecidos, o brasiliense é um empresário de sucesso. Sócio do Paris 6 e da academia Veritas, Rosa viu no mundo dos negócios uma oportunidade de diversificar seus investimentos."

Ver matéria na Íntegra




Truque Vip...

Mais um convite diferente e encantador. Agora a equipe do Faustão me chama para uma competição com apresentações ao vivo todos os domingos. Muito legal. E pessoas queridas participando. Fernanda Vasconcelos, Thiaguinho, Hortência...  Aliás, Hortência deixou tudo mais divertido, ela uma campeã do mundo, uma especialista em competir veio com tudo. Tive que usar todos meus truques. "rs”  Foi tudo encantador. Quem não se encanta por mágica?...Na verdade o mágico é um ator que finge ser um mágico...simples assim. Mas nem tanto...Um bom mágico requer muitas habilidades. E muito treino. Deu certo. O programa foi um sucesso e tive a companhia de uma equipe talentosa na direção e produção. Obrigado.




Atleta...

Nas olimpíadas do Rio, Murilo foi convidado para ser Embaixador do Taekwondo Brasileiro, desde então acompanhou, incentivou e aplaudiu o melhor momento vivido pelo TKD na nossa história. Hoje além de embaixador é também padrinho do COB(comitê olímpico Brasileiro) e estará em Paris nas olimpíadas de 2024.

Tive uma linda experiência no esporte antes de ser ator, posso dizer que vivi momentos raros como atleta. Representei o Brasil em dois campeonatos mundiais. O primeiro foi o Campeonato Mundial Universitário de Taekwondo em Santander na Espanha, em plena crise política no nosso país. Na época Fenando Collor confiscou todo o nosso dinheiro e a delegação brasileira desistiu de viajar. Meu pai Odair e minha mãe Maria Luiza, meu técnico Carlos Eduardo Loddo e o Mestre Kim, me incentivaram a ir em frente, com isso meus pais bancaram minha viagem e consegui sentir e viver algo inesquecível. Todos os países tinham no mínimo 20 pessoas em suas equipes, como médicos, treinadores, atletas, etc. Eu fui sozinho  levando literalmente a bandeira do Brasil. 

Fiquei amigo e íntimo (não sei como! rs) da equipe Coreana, treinávamos juntos, fazíamos muita bagunça e lembro que eram todos muito divertidos. Um episódio me marcou no último dia de treino: o peso pesado deles na hora de treinar quis passar um pouco do ponto e acabamos tendo uma luta um pouco mais séria, rs. Resultado! Fiz bonito, mas me quebrei todo e ainda distendi um músculo da perna, sendo que a minha luta oficial era no dia seguinte. “rs”
OK!  Vamos em frente! Santander tinha algo mágico no ar pra mim, eu era muito bem tratado e tinham um carinho especial comigo, talvez pelo fato de ter ido sozinho. Imaginem entrar no ginásio eu e a bandeira do Brasil em um campeonato mundial?  Algo bem diferente! 

Na hora da competição todos estavam ao meu lado, torcendo por mim, do porteiro aos técnicos dos outros países. Na minha luta contra o chinês vice campeão mundial, no momento em que dei um chute giratório(Tora tolho) em seu rosto e o protetor voou pra fora da arena foi uma vibração tão grande que naquele momento me senti o menino do Karatê Kid. “rs” Acabei ganhando a medalha de destaque do Mundial. Eu acredito que pelo conjunto da obra. “rs“ 
Chegando no Brasil, esta medalha teve uma certa repercussão, me lembro até hoje de uma entrevista muito engraçada para o Globo Esporte eu dizendo que meu sonho era estar nas olimpíadas de 1992. Não ganhei a medalha de ouro, mas ganhei muito mais: Ganhei experiência de vida, senti o que é ser respeitado lutando, indo em frente, não desistindo. Sem pensar muito, apenas indo! Pai e Mãe: muito obrigado por isso!

No final do mesmo ano, em 1990, fui representando o Brasil na Copa do Mundo de Taekwondo em Madrid, na Espanha de novo. Equipe completa desta vez. Tudo muito bom, a bagunça agora era com os brasileiros. “rs” Muitos amigos queridos que respeito e admiro, muitas aventuras e uma mudança radical na minha vida. Na luta com o americano, se eu ganhasse já era medalha de bronze. Uma luta boa e bem disputada. Ele com mais experiência, perdi no último round. Ali algo me bateu forte. Percebi que eu só voltaria ali de novo se fosse pra ser campeão mundial. Treinaria 15 horas por dia, ou não iria mais estar ali sem estar 100% fisicamente. Logo depois de minha volta, comecei a fazer Teatro e aí começa a  outra grande aventura da minha vida.




Dança do Gelo...

Em 2006 recebi um convite bastante ousado do programa do Faustão: dançar, competir e patinar no gelo. “rs” O carinho que tenho pelo Fausto e seu programa, o risco e o desafio tornaram o convite irresistível.

Foi tudo muito intenso e muito bom. Ensaiar toda a semana e se apresentar ao vivo no domingo. Não era simples, nem fácil,  por isso minha admiração por todos que participaram e se atiraram literalmente sem rede de proteção. E é isso que faz  um artista. Pelo menos de vez em quando!