Auto da Independência foi uma peça reproduzida uma única vez, em homenagem aos 190 anos do grito dado por D. Pedro I às margens do Riacho do Ipiranga. Na apresentação, Murilo Rosa fez o papel do proclamador da República. Deborah Secco também participou da produção, interpretando Maria Leopoldina.

A encenação reproduziu, em 4 atos, os principais pontos que levaram a D. Pedro I declarar a Independência do Brasil à Corte Portuguesa. Foi um programa de entrada franca e organizado pela Associação Comercial de São Paulo.

A peça, dirigida por Nelson Baskerville, contou com um mês de ensaios com outros 23 atores do elenco de apoio em São Paulo, enquanto Murilo e Deborah ensaiavam no Rio de Janeiro, por conta de suas agendas. O ensaio com toda a equipe reunida aconteceu apenas uma vez, no dia anterior à apresentação. Ao todo, 250 profissionais estiveram envolvidos diretamente com a peça.

Em declaração ao jornal O Estado de São Paulo, poucos dias antes da peça, Murilo falou sobre, diferente de outras apresentações ao ar livre para grandes públicos, as falas dessa peça não terem sido gravadas previamente: “Em encenações como essa, geralmente gravamos os diálogos antes. (…) Faremos tudo ao vivo, no gogó. Dá um friozinho na barriga.”