América, que foi um dos maiores sucessos dos anos 2000, contava a história de Sol e Tião. Ela era uma moça simples da Zona Norte do Rio de Janeiro (interpretada por Deborah Secco) determinada a dar uma vida melhor a sua família trabalhando nos Estados Unidos. Já Tião, era um peão de rodeios que sonhava em se consagrar internacionalmente e ganhar dinheiro o suficiente para montar a fazenda de seu falecido pai. Os dois atrás de dinheiro para realizar seus sonhos, só que com maneiras bem diferentes de consegui-lo.

Quando se encontram, é amor à primeira vista, mas os dois são separados por seus sonhos: Sol decide se mudar para os Estados Unidos ilegalmente atravessando a fronteira com o México depois de ter o visto de turista negado e Tião continua ligado as suas raízes.

Murilo deu vida ao Dinho, um de seus personagens de maior sucesso. Um grande amigo de Tião e peão como ele, se apaixona por Neuta (Eliane Giardine), viúva de um peão, que comanda com mãos de ferro a Fazenda onde mora com seu filho.

O casal, que conquistou o público com suas cenas quentes e cômicas, se encontrava às escondidas, porque a viúva acreditava que só podia viver a sua vida como queria quando o filho estivesse criado e pronto para comandar os negócios da família. O romance só foi assumido pelo casal no último capítulo da novela, dançando uma música romântica em um show do cantor Daniel na frente de toda a cidade.

“Ele [o Dinho] é peão. É homem, está suado, sobe pela janela e entra no meio da noite, é um aventureiro. Além disso é simpático, brincalhão, romântico, sexy. Acho que o Dinho faz com que as mulheres que estão em casa adormecidas e apagadas acendam as fogueiras.”

Murilo Rosa para a Quem Acontece, em 2005.